segunda-feira, 16 de março de 2009

Antepassados no Céu...


E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor. Apocalipse 21:4.

No ano passado, entrei em contato com a genealogia. À medida que me envolvia mais, comecei a pensar sobre meus antepassados. Encontrarei alguns no Céu? Quantos deles foram cristãos? Quantos aguardavam a volta do Senhor?

Descobri uma família da qual o pai morrera na Guerra Civil, como aconteceu com tantos que combateram ou pelo Norte ou pelo Sul. Depois a mãe, Abigail, perdeu sua filhinha de um ano em junho, e a própria Abigail faleceu em setembro, deixando para trás três meninos órfãos, com 2, 9 e 10 anos de idade. Posteriormente, alguém requereu uma pensão da Guerra Civil para os meninos, e, seis anos mais tarde, segundo o censo de 1870, os três garotos estavam morando com outras famílias, que podem ou não ter sido seus parentes. Outra família também perdeu o esposo e pai na Guerra Civil. Novamente duas crianças, um menino e uma menina, ficaram órfãos de pai.
As guerras, incluindo a Guerra Civil, nunca me interessaram realmente, pois acredito que as guerras não fazem sentido e raramente conseguem algo bom. Agora, que estou vendo o impacto de apenas uma guerra sobre meus antepassados, elas se tornam mais reais para mim. Fico feliz por ter um Deus que vê o quadro completo e está no controle.

Que grande encontro haverá no Céu, quando pudermos ver pessoalmente muitas dessas pessoas! Teremos a oportunidade de lhes fazer perguntas para as quais, no momento, não há respostas. Lembro-me de que eu dizia aos nossos filhos que um dia poderemos conversar com personagens bíblicos sobre os quais lemos, e fazer perguntas sobre a vida deles. Apenas recentemente pensei sobre nossos antepassados imediatos (“imediatos” em comparação com pessoas dos tempos bíblicos) e me perguntei como será conhecê-los: quantos estarão lá, quantos se perderam para a eternidade, que perguntas farei. Mais importante ainda é a pergunta: Serei fiel para também estar lá?

Minha oração por mim e por aqueles que estão lendo esta página hoje é que todos permaneçamos fiéis, leais e obedientes a Jesus e ao Pai, e que convidemos o Espírito Santo cada dia para habitar em nós e finalmente salvar-nos para aquele reino celeste.


Loraine F. Sweetland

Livro:
Sussuros do Céu,
Casa Publicadora Brasileira.
http://www.cpb.com.br

4 comentários:

Tatiana disse...

Que lindo!

Palavras repletas de encanto!

Só Deus nos dá o verdadeiro consolo!

Um abraço carinhoso

Mari Amorim disse...

Olá
Perfeito,como sempre um grande poeta!
Passe lá em casa,e retire o primeiro Selo do blog,em agradecimento,ao carinho, e incentivo.
beijos,
Mari

Giovana disse...

"Antepassados no céu"...

É uma das melhores formas de se aliviar a dor de saber que "eles já não mais existem".

Valdemir Reis disse...

Amigo Pr. Adolfino estou lhe visitando, parabéns, seu blog é encantador, harmônico, e passa muita energia, excelente! Sinto-me honrado e feliz. Confesso que gostei de ter passado aqui. Somos felizes quando contribuímos para a felicidade dos nossos semelhantes. Votos de muito sucesso, de par com os de um de uma próspera e produtiva semana de trabalho, sucesso, muito brilho, fiquem com Deus. Encontrar-nos-emos sempre por aqui... Aguardo sua visita. Felicidades, muita paz e proteção.
Valdemir Reis