sexta-feira, 9 de outubro de 2009

A Jovem Viúva


Seu marido morreu em um acidente, e ela ficou sozinha com dois filhos pequenos para criar. No início, foi cercada de amigas preocupadas e solidárias. Elas lhe traziam refeições, enviavam cartões, telefonavam, oravam.

Então, as semanas se transformaram em meses, e, agora, parecia que o mundo inteiro havia esquecido o que tinha acontecido. Ela ansiava por ouvir o nome do marido ser mencionado nas conversas, ansiava por conversar sobre seus passos largos durante as caminhadas, sobre a vivacidade de seu riso fácil e o calor de suas mãos fortes entre as dela. Ela queria que os vizinhos viessesm até a sua casa pedir emprestadas as ferramentas dele, ou que algum rapaz mais velho fosse jogar basquete com seus filhos.

Era o início da manhã do primeiro aniversário da morte do marido. O orvalho ainda estava úmido sobre a relva quando ela atravessou o gramado do cemitério. De repente, ela avistou alguma coisa perto do túmulo dele. Alguém havia estado lá antes dela, e deixou ali um pequeno buquê de flores recém-colhidas, amarradas com uma fita. Um ato de gentileza e carinho que tocou seu coração solitário como se fosse um terno abraço. Com lágrimas correndo pelo rosto, ela leu o bilhete sem assinatura. As palavras diziam simplesmente: "Eu também me lembrei".




14 comentários:

Principe Encantado disse...

Pastor, sem palavras muito lindo.
Abraços forte

amigodcristo disse...

Pastor Adolfino paz seja contigo ..!!!
Lembranças é presença, tem o poder de nos fazer ver o amnhã com uma nuvem de esperança...!!!

Sandra F. disse...

Muito bonito, parabéns pela postagem.
Abraços!

LISON disse...

Saudações!
Pr. Adolfino!
Que Post Envolvente!
Uma mensagem profunda, absolutamentamente belíssima!
Parabéns pelo lindo Post!
Abraços!
LISON

Vera disse...

Partor Adolfino
Esta mensagem me fêz chorar...lembrei-me da minha mãe que faleceu há 18 anos. Meu pai não quis comprar um túmulo para ela, disse que era muito caro ( ele tem muito dinheiro!!!) e ela ficou esquecida em um ossuário do Jardim da Saudade em Salvador...ninguém visita, eu não pude mais ir lá...ele se casou com outra mulher e tem uma filha de 16 anos, esqueceu da esposa, mãe dos seus filhos e esqueceu os filhos também...que coisa triste!
Um abraçao...

LL disse...

Adolfino,
O texto é bonito mas confesso que me arrepiou um pouco.
Os entes queridos que se vão devem viver no nosso coração, mas não nas nossas vidas.
Grande abraço
Luísa

Rouver Júnior disse...

Emocionante!

A paz do Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Rosana Madjarof disse...

Querido Adolfino,

Que texto mais sublime!
Fiquei emocionada, pois eu sei o quanto deve ser difícil, depois de algum tempo, a pessoa que já partiu não ser mais lembrada.
Graças a Deus, eu não posso me comparar ao texto, pois minha filhota é lembrada por todos, em todos os lugares, em todos os momentos, e mesmo por aqueles que não a conheceram em vida.
Me considero abençoada por Deus, pois mantenho minha filha viva, através das lembranças que carrego e do amor que guardo em meu coração.
Enquanto o amor existir em nossos corações, nossos amados estarão eternamente vivos, pois nunca serão esquecidos.

Ah! Estou seguindo seu Blog, pois gosto muito dele.
Ficaria imensamente feliz se seguisse meu Blog também: http://saudadeeadeus.blogspot.com

Beijos em seu lindo coração.

Rosana Madjarof.

Gookz disse...

é muito imporatnte o apoio a quem sofre,sei qporque sofri e os ombros nos quais chorei foi que me ajudaram a passar po isso...

Gookz disse...

é muito trite lidar com perdas...

Danny Doo® disse...

=] lindo...

María Cristina disse...

un post bellisimo

Sissym disse...

Esta mensagem é maravilhosa. Eu a vi recentemente, mas parece que vc adivinhou de que eu queria ler novamente! Beijos

Anônimo disse...

La ringrazio per Blog intiresny