sábado, 28 de fevereiro de 2009

Um Gostinho do Céu ...


E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. [...] Eis que faço novas todas as coisas. Apocalipse 21:4, 5.


Tive o privilégio de crescer nos prados de Nebraska, descendente de uma família grande e achegada que se encontrava em reuniões anuais. Meus bisavós emigraram da Noruega e criaram os filhos perto de Elm Creek. A bisavó Sarah ficou viúva muito cedo e criou 14 filhos, que se tornaram adultos responsáveis e respeitados.

As reuniões escassearam depois que a bisavó faleceu, em 1973, e eu não via muitos dos meus parentes desde seu funeral. Mas, em 2005, todos nos encontramos em Kearney, Nebraska, para uma reunião da família Johnson. Mais de 70 membros da família se reuniram para um final de semana, a fim de nos alegrarmos nessa confraternização e trocarmos lembranças. Foi uma ocasião alegre, revendo tias, tios e primos após muitos anos; havia ali também muitos cônjuges e crianças que eu nem conhecia.

Infelizmente, muitos faltaram ao encontro. Meus bisavós tinham falecido muitos anos antes, e a maioria dos filhos, e até alguns netos, já haviam sido levados ao descanso. Na sexta-feira à tarde, visitamos a igrejinha e o cemitério onde estão sepultados muitos membros da famíia. O dia estava lindo e, à medida que o sol declinava por trás das colinas arenosas, cantamos hinos e ouvimos histórias sobre nossos antepassados.

Aquele breve tempo que passamos juntos foi um gostinho do Céu. Rimos e choramos com as histórias narradas. Olhamos fotografias amareladas e objetos que são importantes, porque pertenceram a nossos antepassados ou foram criados por eles. Através do milagre da tecnologia, assistimos a alguns vídeos de membros da família já falecidos, filmados muitos anos antes. Falamos de nossa esperança na ressurreição vindoura. Foi um momento para olhar para trás, mas também um momento de olhar para a frente, e, quando nos despedimos, fizemos planos de nos encontrar outra vez, se não aqui na Terra, então por ocasião da breve volta de Jesus.

Para mim, aquele fim de semana foi um prazer, e planejo participar de reuniões futuras, se possível. Mas anseio por aquela gloriosa reunião final, durante a qual verei não só meus familiares, mas também amigos, pessoas queridas que agora já dormem na sepultura. Mais importante ainda, verei Jesus, meu Salvador, que morreu na cruz para que eu possa estar lá.


Fauna Rankin Dean

Livro:
Sussuros do Céu,
Casa Publicadora Brasileira.
http://www.cpb.com.br

2 comentários:

Pelirroja disse...

Que belo modo de começar o dia lendo este texto maravilhoso! È importante mantermos um elo com o passado, com nossos familiares. Fazem parte da nossa história e de quem somos.

Um ótimo final de semana!

Abraços!

Van disse...

Linda história. Uma história, mesmo com a falta de alguns entes mais que queridos... mas cheia de alegria.


Ah, hoje Deus fez novas todas as coisas para mim! Ele sempre me surpreende. Quando eu menos espero me dá algum presente ou realização! ... Maravilhoso, Ele é!


ps. Hoje é o sorteio né? rs. Boa sorte pra tooodo mundo!
Beijos, Van.