quarta-feira, 10 de março de 2010

Preconceito e Racismo


Perguntou-lhe Natanael: De Nazaré pode sair alguma coisa boa? Respondeu-lhe Filipe: Vem e vê. João 1:46


De acordo com a Lei nº 9459, de 13 de maio de 1997, basta chamar alguém de “negro”, “preto”, “negão”, “turco”, “judeu”, “baiano”, etc., para que o autor fique sujeito a uma pena de um ano de reclusão, além de multa, se ficar provada a intenção de ofender a honra alheia relacionada com cor, religião, raça ou etnia.


Preconceito é uma opinião formada antes de se conhecerem os fatos. É sempre preconceito aplicar as ações de um ou dois indivíduos a todo um grupo, como por exemplo: “Índio é preguiçoso”, “mineiro é desconfiado”, “gaúcho é papudo”, “judeu é pão-duro”.


O preconceito é tão velho quanto a humanidade. Em Números 12:1 lemos: “Miriã e Arão criticaram Moisés, porque ele tinha se casado com uma mulher cusita” (BV).


Este é um exemplo de preconceito racial, pois os cusitas tinham a pele escura e eram estrangeiros. A punição divina por esse preconceito não se fez esperar: “Miriã achou-se leprosa, branca como neve” (v. 10). Que ironia! Por causa de seu preconceito de cor, Miriã foi castigada com a alvura da lepra!


Vários tipos de preconceito são mencionados na Bíblia. Havia o preconceito contra certas profissões (Gn 46:34), em relação à aparência pessoal (1Sm 16:7), ao lugar (2Rs 5:12, Jo 1:46), à classe social (Lc 18:9-14), e aos aspectos sexual e étnico (Mt 15:21-28, Jo 4:9).


Um exemplo positivo de ausência de preconceito racial foi citado por Jesus na parábola do Bom Samaritano, em Lucas 10. Qual dos três viajantes teve compaixão? Quem demonstrou ser o próximo do homem ferido? Não foi o sacerdote, que representava a liderança religiosa, nem o levita, que era um assistente leigo do sacerdote, mas um samaritano, que era estrangeiro e do qual não se esperava simpatia para com os judeus.


Jesus também foi alvo de preconceitos quanto à Sua origem (Jo 8:19), aparência (Is 53:2, 3), intenções (Lc 7:39; 15:1, 2; 19:7), e pelo fato de ter sido criado em Nazaré. Natanael, um de Seus futuros discípulos, ao ser chamado a seguir o Mestre, reagiu com a pergunta preconceituosa: “De Nazaré pode sair alguma coisa boa?”


A resposta que Filipe lhe deu é a melhor que se pode dar a pessoas preconceituosas: “Vem e vê.” Natanael aceitou o convite de Filipe e, ao ver e ouvir a Jesus, reconheceu ser Ele o Filho de Deus.


Antes de julgar os fatos e as pessoas por antecipação, vá até lá e veja. Tome conhecimento da realidade. Só então você poderá ter um conceito. Antes disso, será mero preconceito.


Scheffel, Rubem M. Meditações diárias: com a eternidade no coração. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira.

4 comentários:

Edilza Nascimento disse...

Eu acho que isso é inerente ao ser humano... e é terrível.
abs

adilson disse...

Sou seu amigo no dihitt e gostaria de fazer uma parceria delink com você,meu site é http://www.grandesmensagens.com.br/ e meu blog é http://mundodamusica.blogsome.com/ se você tiver interesse me mande sua resposta ,obrigado.

Sissym disse...

Que interessante, estava justamente falando sobre isso hoje, porque um rapaz de nosso convívio ficou "emocionado" ao falar que andou com com com "aquela moça morena que trabalha no JN". Só que eu e minha amiga sabemos quem mora no prédio e é a Gloria Maria. A minha amiga ao invés de dizer logo "de cor" não! Eu acho que a pessoa que é de cor ou negra não é vergonha e sim sua cor. Como eu sou branca e os orientais são "amarelos". Puxa, chamar alguem de amarelo ou branco pode ser tão ruim quanto ser chamado de preto, ou não para todos. Para mim não há pior racismo do que aqueles que são preconceituosos contra eles mesmos. E eu só tenho recordações próprias a lembrar. Eu não gosto de "talvez", é e ponto final. Pior é saber que na Africa pessoas albinas são destratadas por seus semelhantes, crueldades lhe são feitas, como arrancar-lhes membros para seitas.
Não há nada pior e doloroso do que preconceito moral e de classificação hierárquica: poder.
Não apontemos somente as cores, mas tambem a religião. Visto que os judeus foram perseguidos por questões religiosas e outras mais.

É bastante complicado querer banir de vez tais sentimentos, na verdade qualquer tipo de discriminação é velada por muitos e lançada quando mal imaginamos.

Beijos

MARIA COSTA disse...

Oi amigo
Muio bom seu post.Preconceito nao esta com nda, pois somos todos iguais, e ninguem é melhor que ninguem para julgar ou insltar o outro.
Bjs