terça-feira, 18 de agosto de 2009

O Medo Saudável


O medo é nosso mestre. Aprendemos algumas das mais importantes lições da vida prestando atenção nos nossos medos, em vez de ignorá-los. O medo é a emoção que sentimos quando estamos em perigo. É uma reação automática que quase sempre tem uma razão por trás.


Como o medo é sinal de perigo, desde muito cedo aprendemos a reagir a ele de forma automática, sem pensar. Guardamos essas lições nos locais mais inacessíveis de nossa mente. Mais tarde, quando surgem circunstâncias que nos remetem aos antigos medos, voltamos a reagir automaticamente a fim de nos proteger.


Na psicoterapia, essas reações de porteção diante do perigo são chamadas de mecanismos de defesa. Eles tinham por objetivo resguardar do perigo a criança que já fomos. O único problema é que os mecanismos que nos servem na infância nos escravizam na vida adulta.


Certos medos são saudáveis. Como nos avisam da proximidade do perigo, devemos dar atenção a eles. A Bíblia nos diz que precisamos trabalhar nossa salvação com temor e tremor. Existe um medo saudável que é nosso mestre na vida. Temos que trabalhá-lo a fim de aprendermos as lições de que precisamos.


Como Deus cura a dor - Mark W. Baker

9 comentários:

Principe Encantado disse...

Belo ensinamento Pastor e sábias palavras.
Abraços forte

Alexandre Brendim disse...

Se me permite discordar...para mim, medo é um atraso de vida, não temos que ter medo, respeito sim, prudencia sim, mas medo não.

Sandra F. disse...

Muito interessante. Enfrentar os medos, não baixar a cabeça, ter fé que a vitória virá.
Abraços!!

Jαy-C disse...

O que seria de nós se não fosse o temor?
Nossa inconsequência seria um horror!

xD

Débora Francis disse...

Ter medo é comum, saudável...
Não devemos viver em funçao deste, mas sim sabermos lidar com ele de forma que não tome conta de nossa vida.
Belíssimo texto amigo.
Deus te abençoe.
A paz.

Dona do Planeta disse...

Acho que o medo impede a pessoa de crescer!

Eureka disse...

Oie gostei muito dos seus posts... grande beijo

Renato HappyBlue disse...

Lembrei-me da minha infância. Dos tempos que eu trocava idéias com os meus primos e amigos nas horas de lazer. Sempre surgia alguma estória para apimentar o medo. Como em uma fábula falávamos do ‘bicho-papão’ e de inúmeras outras criaturas que deveríamos temer caso ultrapassássemos os limites ditos pelos adultos. Por um bom tempo tive medo de ir para o quarto e apagar a luz na hora de dormir. Havia desobedecido ao meu pai e com a minha imaginação inocente lá estava eu diante do medo. Parecia ter algo embaixo do meu colchão. (*rs) Foram muitas noites de sono perdidas com direito a choramingar no colo da minha irmã mais adulta. Certo dia eu resolvi enfrentar a suposta presença. Ao sentir o medo pulei para debaixo da cama como um herói e esperei para ver o que de fato poderia acontecer. Em poucos minutos adormeci e pela manhã constatei que nada havia acontecido. Estava livre do medo.

Hoje, sempre digo aos meus amigos e familiares que não devemos ter medo de nossos conflitos e limitações. O receio sim pode ser saudável. Infelizmente o mundo hoje busca felicidade, conquista e realização pessoal de uma maneira muito material. Agarrados aos anseios criaturas surgem do nada e se abrigam no interior do homem o deixando enfraquecido. Ainda sou um verdadeiro ‘estudante’ da Vida, mas sempre procuro lembrar a todos o poder da oração. Uma luta externa não levará ninguém a lugar algum. É preciso reconhecer com verdade apenas o que está dentro de nós. Amando-se com fé e amando ao próximo junto ao Amor de Deus sempre será possível seguir adiante e sair desse estado de inquietude e aflição.

Já faz tempo que troquei o medo pelo receio. Não por fuga, mas simplesmente pelo receio do medo. (*rs) Talvez esteja aqui o meu medo saudável.

Pr. Adolfino, amado amigo,
Posso dizer que hoje somei e aprendi ainda mais com o tema desse seu artigo. Parabéns e obrigado por esse texto. Agradeço também pelo convite! Fiquei muito feliz! Um forte abraço de ‘estalar as costelas’... (*rs) Luz e Paz! Renato_ò/

* Hoje finalmente estou levando comigo o link do seu blog... + 1 abraço!

Suzana Meirelles disse...

O medo não e um atraso de vida como alguém comentou a cima.
É um sentimeno como outro qualquer que possuímos,que nos preserva dos perigos da vida.
Passa a ser patológico quando ele não desaparece quando o perigo some.
Vide os transtornos de ansiedade e Síndrome do Pânico.O maior mal da atualidade.É processo bioquímico que acontece no cérebro quando o estress ultrapassa os níveis desejados.
Sugiro um artigo a respeito.